Perceba os sinais que demonstram seu destino e aceite o desafio de criá-lo.

21230823_1220013768141989_1048910089198604949_n

Desde criança enfrentamos a realidade da competitividade de nossa sociedade: padrões bem claros de comportamento, estética e valores vão sendo discretamente impostos no convívio social. Assim começa a se estabelecer que o certo é ser “normal”: bom em todas as atividades, ser o melhor do trabalho, ser magro, bonito, ter cabelo “bom”, ser popular, ter muitos seguidores nas mídias sociais, querido por todos. Isso sim é ser uma pessoa de sucesso.

Embora muitas vezes não percebamos racionalmente nada disso, devagar vão se incorporando em seu inconsciente todas essas “verdades”. Pronto, está plantada a semente da frustração. Porque ninguém consegue atender a todos esses padrões, a esse modelo “ideal” de existir.  Aprendemos desde muito cedo a competir, comparar, buscar ser o que lhe parece certo. Crescemos nesse meio engessado, em que não podemos ser nós mesmos e aprendemos a camuflar sentimentos, a mascarar nossa forma de ser e sentir, para nos encaixarmos no modelo vigente, nos requisitos para o trabalho, nos padrões estéticos da conquista amorosa, tudo para ser “normal”!

No entanto, durante nossa vivência, seguimos da maneira que damos conta, atendendo à pressão. Muitos são comunicativos por natureza e mais parecidos aos padrões, tornando-se populares. Outros, introspectivos e “exóticos”, sentem que são inadequados. Muitos têm facilidade no mercado profissional e sentem-se vitoriosos. Outros já manifestam não gostar desse ou daquele estilo de vida e vão apresentando dificuldades. Muitos sentem-se bonitos, bem-sucedidos, admirados. E outros tantos totalmente desencaixados.

Assim vão se estabelecendo todos os paradigmas. Os resultados dessas experiências vão se incorporando à nossa personalidade, induzindo-nos à classificação: sucesso ou fracasso. Essa realidade de vida transforma muitas pessoas com imensos potenciais em indivíduos que se sentem incompetentes, provocando um tremendo desânimo existencial.

Sendo assim, é de importância vital nos submetermos a um processo em que descubramos quem realmente somos, conhecendo nossos potenciais, habilidades e preferências. A partir dessa clareza, poderemos descobrir o que faz sentido com nossa essência, qual atividade profissional combina conosco, qual estilo de vida é adequado aos nossos valores, como lidamos com nossa sexualidade e gênero. Naturalmente, esse processo nos conduzirá à vontade de exercer essa essência, de desenvolvê-la e desfrutá-la. Assim começa seu Novo Mundo.

Nossa singularidade, propicia a beleza da relatividade da vida e garante que todos, de alguma maneira, conquistem seus espaços e possam se sentir vitoriosos. Basta apenas, ousarmos e nos permitirmos “Ser Diferente”. Crie seu mundo, exerça sua essência!

Beijokas Iluminadas.

#RotaStudio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s